quarta-feira, 15 de outubro de 2014

“Viver, como se fosse o último dia... Trabalhar, como se fosse para Deus... Gostar de todos, como se fosse amor... Libertar-se, como se estivéssemos no fim de todas as dores. Olhar tudo como se fosse obra de arte. Caminhar, como se estivéssemos nas nuvens. Abraçar a todos, como se fossem nossos filhos. Perdoar, como se nunca tivéssemos sido ofendidos. Desapegar, como se não tivéssemos mãos. Cooperar, como se não houvesse luta. Sorrir, como se tudo fosse uma brincadeira. Recomeçar, como se fosse a última chance. Em qualquer ação, o importante é fazê-la com classe, como se fosse pela primeira vez, consciente de que o tempo não volta e que tudo é para sempre”.


((Luiz Gasparetto))

Nenhum comentário: