quarta-feira, 30 de janeiro de 2013



"Daqui a pouco a tragédia deixará de ser notícia. Cada um terá de se ajeitar sozinho com a sua dor. Suportar o passar das horas, o peso dilacerante da ausência. Reviver o último encontro e dele extrair tudo o que for possível. A dor é inevitável aos que amam. Só a fé na ressurreição pode nos ajudar a conviver com o absurdo. Inúmeras chamadas não atendidas no celular de uma vítima.Todas elas identificadas como"mãe". Triste inversão dos fatos. A mulher está órfã."

Padre Fábio de Melo

2 comentários:

Romilson Samapio disse...

É exatamente isso que acontecerá em poucos dias. Muitos parentes e amigos encontram conforto na consternação do povo brasileiro, mas o convivio diário com a dor é somente da família e não poderá ser transferida. Por mais triste que seja este episódio logo deixaremos de falar sobre ele, pois sugirão outros assuntos que merecerão nossa atenção. Realidade revelada nestas poucas palavras do nosso amado Sacerdote, Pe. Fábio.

Guiomar Soares Ferreira disse...

Pr. Fábio de Melo, é uma perca incomparável a qualquer outra, um senário triste deplorável. e ninguém deseja para si. É muito triste pr. ver aqueles corpos naquqla situação, escutando celulares tocando mas os donos estavam mortos. Se foi todo9s os sonhos nem só das vítimas mas de seus pais também. Suas carreiras, seus futuros. Para seus parentes só ficaram as dores, esperanças de que a qualquer hora seus filhos iriam entrar pela porta e dizer oi mãe, oi amor, oi para todos, e nunca mais vão escutar essas palavras. O problema de tudo isso é a ferida que não sicatriza, ela vira um buraco onde nada tampa, eu digo isso por experiência de 10 anos quando se foi o meu esposo. Deus fortaleça a todos.