quarta-feira, 11 de abril de 2012

Andorinhas


Quando em criança, lembro das tardinhas
E da cor rubra, de tantos ocasos.
Bem lá no centro das lembranças minhas
(...E ai me enchem d’água os olhos rasos!)

Me vem o vôo sutil das andorinhas,
Que ao frenesi do seu bater de asas,
Cruzavam o céu em sinuosas linhas,
Fazendo evoluções no vão das casas.

Recordo ainda o que mamãe dizia;
- São as Andorinhas, aves benfazejas,
Deus as fez só pra alegrar Maria

Quando iam brincar com seu Jesus menino.
Por isso agora moram nas igrejas
Nas altas torres onde bate o sino

((Jenário de Fátima))

Um comentário:

guiomar disse...

Não existe coisa mais linda do que a gente vê as andorinhas voarem cantarolando à tardezinha. Eu me lembro da minha mãe dizendo que uma andorinha sozinha não faz verão. E realmente não faz porque nunca vemos uma só voando, elas só voam em bandos.