terça-feira, 6 de março de 2012

A música que move a fé

Um comboio formado pelos padres mais populares do Brasil aportou em Natal na sexta-feira. Marcelo Rossi, Fábio de Melo, Antônio Maria ou padre Zezinho não vieram benzer a cidade, diante do surto de violência acometido na capital potiguar nas últimas semanas. O motivo é a celebração da Jornada Mundial da Juventude - maior evento católico do mundo e espécie de prévia para chegada do Papa Bento XVI ao Rio de Janeiro, em 2013. Sim, o Papa é pop. E entre as 30 maiores estrelas da música cristã presentes em Natal, um dos mais influentes na atualidade se chama Reginaldo Manzotti.

A calça jeans e a camiseta ensacada denotam um profissional autônomo como qualquer outro. Sequer há um crucifixo no peito para identificar o sacerdócio do padre mais pop destes tempos modernos. A voz desse descendente de italianos de 43 anos chega a 456 emissoras de rádio todo dia, preenchido de conselhos, mensagens e leituras bíblicas. Em Natal é transmitido pela Rádio Clube (FM 97,9), do mesmo grupo de comunicação de O Poti. Manzotti também já escreveu quatro livros de oração e dois de orientação; lançou oito CDs e dois DVDs. Esse novo astro pop do segmento cristão não poderia passar incólome...

Em tempos de pirataria e downloads gratuitos, a mega popularidade dos padres cantores chamou a atenção da maior empresa do mercado fonográfico do país. Foi a Sony quem patrocinou a gravação do DVD ao vivo em Natal. O show na super arena montada na Praia do Forte se chamou Bote Fé. Atraiu aproximadamente 30 mil pessoas. E Manzotti foi dos mais esperados, a despeito de outros astros mais conhecidos, a exemplo de Marcelo Rossi, Fábio de Melo, as bandas Rosa de Saron e Anjos do Resgate, ou ainda o pioneiro e sempre lembrado padre Zezinho.

Se a aparência física ainda jovem e despojada nega o estereótipo do padre de batina do século 20, é inegável a vocação de Manzotti para a evangelização. Desde os 11 anos de idade decidiu pela vida sacerdotal ao ingressar no seminário dos frades carmelitas em Graciosa, no Paraná.A influência veio da família, "muito religiosa", disse com exclusividade a O Poti/Diário de Natal, após a coletiva de imprensa realizada junto com Padre Antônio Maria, Adriana, os integrantes do Rosa de Saron e dom Eduardo Pinheiro, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude.


Foco na juventude

Durante a coletiva, a palavra mais usada foi 'Jovem'. E a necessidade de a própria Igreja rever seus conceitos para atrair a juventude. Esse foi e continua sendo o foco maior do evento Bote Fé, realizado em cada Estado para preparar os tais jovens para a Jornada Mundial em 2013. E nada como usar da popularidade dos padres cantores - ou "padres da comunicação", como preferiu se autoconceituar padre Manzotti - para pregar a evangelização e engordar o bolo de cristãos. Para Manzotti, "hoje a comunicação é a grande catedral do mundo".

Programação domingo

5h - Missa de Envio - Monumento dos Mártires

11h - Chegada da Cruz e Ícone ao Santuário de Santa Rita de Cássia, em Santa Cruz

12h - Celebração de encerramento e envio dos símbolos para a Diocese de Caicó

Fonte: http://www.diariodenatal.com.br

Um comentário:

guiomar disse...

Na minha época os Pes. se vestiam de frade, com uma calça social por baixo. Mais isso não vem ao caso, porque não é um crussifixo no pescoço um frade que destinguem quem é Pe. e quem não é, pois não é uma simples roupa que vai fazer a diferença, porque o Pe. é um homem como os outros, a diferença é a conduta sua missão, seu voto que está registrado por si mesmo. E nada os impedem de compor suas músicas, escrever seus livros, dar suas palestras, ter os seus programas. Não gente isso não faz a menor diferença. E é como o Pe. Fábio disse é a musica que move a fé. E outra coisa minha gente eles lutão pela mesma causa que todos nós estamos lutando. Que são: A pedofelia, mesmo que seja dentro das igrejas, as drogas, a crminalidade a prostituição, em fim estamos todos no mesmo barco.