segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Emocionante história de fé e devoção ao Divino Pai Eterno

A seguir entrevista com o jovem estudante de jornalismo, católico praticante, Paulo Afonso, que dá início a sua carreira de escritor, lançando seu primeiro livro, "Santuário Matriz: 100 Anos de Acolhida e Evangelização". Veja os principais trechos.

Por quê escrever sobre a construção da Igreja Matriz de Trindade?

Paulo Afonso. Este livro é fruto de uma inquietação íntima, de quando comecei a perceber que muitos devotos não sabiam que o Divino Pai Eterno é Deus Pai Criador. Também é uma tentativa de narrar a história de 172 anos de fé, amor e devoção que eu ainda não conhecia bem. Lembro-me de quando eu tinha por volta de 8 anos de idade, ocasião em que visitei Trindade pela primeira vez. Deparei-me com uma grande multidão que chegava a Trindade, cantando e louvando o Pai Eterno. Isso me emocionou muito e eu quis saber toda a história. Desde aquele dia comecei a aprofundar-me na história divina, mas nunca imaginei que um dia seria eu a narrar o grande acontecimento. Sinto-me honrado e agradecido a Deus por tamanha graça. Neste ano de 2012 ele completa 100 anos de construção. Embora as pessoas se voltem para ele, a maioria não conhece a sua história de acolhida e evangelização. São 100 anos de história em que houve acontecimentos magníficos – de bênçãos, de graças e de amor entre Deus e seus filhos amados. É uma história emocionante, que leva o coração a amar e a procurar o Pai Eterno em sua Casa Santa.


Qual o fato mais interessante sobre este livro?

Paulo Afonso. Deparei-me com acontecimentos interessantíssimos. O nosso santuário já pegou fogo e quase foi consumido pelas chamas. Um fato hilário foi quando entraram ladrões para roubar o cofre do santuário. Avisados da invasão os padres reuniram um grupo de pessoas para defender o Santuário. Estes notaram que um dos integrantes do grupo estava só de cueca. A correria foi tão grande que ele não percebeu a situação, a vergonha foi imensa. Tenho certeza que poucos sabem desse fato. Mas o livro é cheio de informações, que surpreendem a quem ler.


Você pensa que o livro interessará aos não-católicos?

Paulo Afonso. O livro tem um público-alvo que são os romeiros que visitam o nosso santuário. Contudo, será de grande valia para aqueles que quiserem conhecer a nossa história. Trindade tem 91 anos de emancipação política, desde que ganhou fórum da cidade. O progresso se deu em torno do Santuário. Entretanto, por mais que o foco do livro seja a igreja Matriz, o livro não é religioso, é histórico. Tenho amigos e parentes evangélicos que já garantiram que querem adquirir exemplares desta obra literária. Um fato que considero interessante: a primeira pessoa que leu este livro foi um grande amigo evangélico, pai de evangélicos, Prof. William Carey Fróes, que me incentivou e ajudou-me a formatar os textos do livro. A segunda pessoa a ler foi um católico, também meu amigo, padre Robson de Oliveira, reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, e que escreveu o prefácio do livro.


Como é que surgiu a vontade de se tornar escritor?

Paulo Afonso. Desde cedo eu aprendi a ler, e minha grande paixão foi ler. Encantava-me e ainda continua me encantando o mundo da leitura. O ato de ler sempre foi um prazer muito grande, ao ponto de haver lido todos os livros literários das bibliotecas dos colégios aonde eu estudei. Quando os livros já tinham sidos lidos, descobri o mundo mágico das bibliotecas de Goiânia. Era um leitor tão assíduo que sempre ganhava cartões das bibliotecas em datas especiais. Tornei-me amigo de escritores, pois esse elo de amizade se tornava possível conhecendo os escritores por meio de suas obras. Então quis ser um escritor. Mas não sabia como fazer. Sempre gostei de escrever poesias, crônicas e acrósticos. Cheguei a ganhar alguns concursos literários. Certo dia tive a minha redação do vestibular selecionada em uma antologia, junto com uma redação de um professor de Anápolis para representar Goiás em um concurso para jovens escritores. Foi mágico ao ver um livro com o meu texto. Não minto, sempre desejei ser escritor e como tal ser lido, tornar-me imortal na literatura. É um grande sonho que começa a ser realizado.


Depois do primeiro, já tem em mente alguma outra obra?

Paulo Afonso. Sim, tenho alguns em mente. No dia 9 de setembro de 2012, o nosso santuário completa 100 anos e para comemorar esta data, quero lançar um livro dos Vigários de Trindade, com fotos, biografia e suas contribuições para o município e para a Igreja. Como o padre Gabriel de Campos Vilela, que construiu o Ginásio Pai Eterno, hoje Colégio Estadual Divino Pai Eterno e a Vila São José Bento Cottolengo. O padre João Cardoso de Souza, que escreveu o hino de Trindade e idealizou a bandeira de nossa cidade. Este é outro livro histórico que já está em fase de finalização. Também já conversei com a professora Iraci Borges sobre escrever a biografia dela. O que ela fez por Trindade no campo da educação e cultura ninguém mais fez. Para este trabalho pretendo usar como roteiro um texto publicado na revista “Visão Critica”. Poucos conhecem toda a história de luta e determinação desta grande mulher. Outro assunto interessante é a Igreja Cristã Evangélica do Brasil que completou 66 anos de templo construído em Trindade, que também tem uma história lindíssima de fé e unção. Como um dos primeiros pastores desta igreja era amigo do nosso saudoso padre Pélagio Sauter, como os dois eram, um britânico e o outro alemão, gostavam de tomar cachaça juntos. Olha que lindo! O ecumenismo já era uma prática naquela época. Eu falei com o meu amigo, professor William, que é irmão do pastor Davi, se eles não escreverem este livro, eu vou tomar esta responsabilidade para mim. Pois é a nossa história. História de nossa cidade e de nosso povo.


Os trindadenses se interessam pela preservação de sua história?

Paulo Afonso. Infelizmente não. Pois um exemplo é este livro que escrevi. Ele já deveria estar escrito há anos, não por mim, mas por outros. Para preservar a nossa história, tradição e cultura. Nas escolas de Trindade não é ensinada a história de nosso município, isso deveria ser obrigado por lei, em todas as escolas daqui, tanto as municipais, estaduais e particulares. Este meu sonho não é como escritor, mas de uma pessoa apaixonada por Trindade, que este livro esteja presente nas bibliotecas de nossas escolas.


Você recomenda a leitura do seu livro por qual motivo?

Paulo Afonso. Eu recomendo a leitura do livro “Santuário Matriz: 100 anos de acolhida e evangelização” por vários motivos, dentre eles, o fato de a obra narrar a nossa história e falar de nossas raízes. Também para conhecer um pouco do Santuário Velho de Trindade e de sua importância para o surgimento de nossa cidade. É um livro belo, não por causa da autoria, pois qualquer jornalista ou historiador que o escrevesse faria com que continuasse belo. É a história. Uma linda história de amor de um Deus apaixonado por seus filhos.


Fonte: http://sergiovieira.zip.net/

Um comentário:

guiomar disse...

Sera tão bom se os outros jovens tivessem a maturidade, o interece pela sua cidade e pelas pessoas tambem como esse jovem. O Brasil precisa de jovens que como esse ´tão novo já se intereça por tudo e por todos, e principalmente por ele mesmo. Porque esse trabalho não ajuda só as outras pessoas, mais sim a ele ambem.
Parabéns meu jovem siga em frente que você vai lonje.