sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

VIR A SER


Eu procuro por mim.
Eu procuro por tudo o que é meu e que em mim se esconde.
Eu procuro por um saber que ainda não sei, mas que de alguma forma já sabe em mim.
Eu sou assim...
processo constante de vir a ser.
O que sou e ainda serei são verbos que se conjugam sob áurea de um mistério fascinante.
Eu me recebo de Deus e a Ele me devolvo.
Movimento que não termina porque terminar é o mesmo que deixar de ser.
Eu sou o que sou na medida em que me permito ser.
E quando não sou é porque o ser eu não soube escolher.

((Pe. Fábio de Melo))

3 comentários:

guiomar disse...

Vir a ser. É um prossesso que existe dentro de nós mais ao mesmo tempo não disfrutamos. Como é possivel a gente ser um alguem o qual está dentro de nós e depois descobrirmos que este algue é na verdade nós. Na verdade todos tem um eu penetrado em nós, mais ao permitirmos em nos dar a Deus e não nos faz falta porque na verdade, este eu Deus pode nos devolver. No meu pensar esse eu é o nosso espírito que está habitado em nós.

Anônimo disse...

"VIXI....FILOSOFEI...!"

guiomar disse...

O que eu acho mais facinante em Pdre Fabio de Melo, são os desafios dele e ao mesmo tempo ele nos coloca a decifar esses desafios, como esse (VIR A SER), é um desafio muito dificil de se desmembrar. Em meu conceito, esse VIR A SER, para mim é como se a gente fosse duas pessoas uma dentro da outra, sendo essa outra invisivel, um abstrato, tipo um espírito. eu me lembro da passagem que dizia:Deus é o verbo, o verbo se fez Deus. Eu não sei explicar direito, mais é mais ou menos assim. É como se dentro de nós tivesse o espírito, e a gente se entregasse a Deus e esse espírito nos fosse devolvido, e depois voltasse para Deus novamente. Eu não concigo fazer ese comentário como tem que ser feito, porque não concigo retirar de minha cabeça como está. existem coisas que está em nossa cabeça mais não conceguimos explicar para os outros.



777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777