quarta-feira, 18 de junho de 2008

Perdoar é amar


“Ao que pouco se perdoa, pouco ama” (Lc 7,47).

Falar sobre perdão é um assunto que mexe comigo e com você, que atormenta o nosso coração e, na maioria das vezes, não queremos refletir sobre isso. Perdoar não é algo milagroso, não é mágica, não é sentimento... É uma atitude, é um ato concreto que temos que realizar a cada segundo de nossas vidas.
O perdão é o alimento da nossa alma, nos move e nos conduz ao eterno. Sem ele morremos, perecemos, definhamos, matamos, sem perceber, a nós mesmos e as pessoas que estão ao nosso lado, por meio de atitudes conscientes ou inconscientes de sentimentos como a indiferença, a raiva , o ódio , a mágoa....

Olhe pra você e pense: quem ou quantas pessoas, situações, atos, atitudes que você tem para perdoar? Não minta para você nem para os seus sentimentos, seja verdadeiro e audaz. Permita Deus entrar nas profundezas de sua alma e tocar as suas tristezas, decepções, traições, traumas, mágoas, rancor, ressentimentos. Permita o Senhor tocar as rachaduras de sua alma e assim, fazer com que ela volte a viver. A misericórdia divina alcançará nossas feridas e traumas e o milagre do perdão que nossa alma almeja se realizará através de um ato concreto de fé.
Existem muitas situações que vivemos ou experimentamos que para nossa razão humana são imperdoáveis, que pensamos jamais conseguir perdoar, mas digo a você que “a Deus nenhuma coisa é impossível” (Lc, 1,37). As traições conjugais, as violências físicas ou verbais, os estupros, os suicídios, os abusos sexuais, pequenos fatos do dia - a - dia, entre outros. Essas são situações que tocam e ferem a nossa dignidade e identidade de filhos de Deus, identidade de homem e de mulher, e que deixam marcas profundas em nosso ser, gerando traumas eternos que somente o Senhor é capaz de tocar e curar. Elas desencadeiam outros atos e atitudes que vão se repetindo em nossa vida e não sabemos a origem. E somente perdoando a nós mesmos, a Deus e a essas pessoas seremos livres e conduzidos para o amor.
O perdão tem o poder de nos religar a nós mesmos, a Deus e ao outro. Estamos em pleno século XXI e a história se repete século após século. O poder, o prazer e o ter não vão curar as nossas feridas e não vão nos ensinar a amar e a perdoar.
Aprendamos com Jesus que é a fonte de todo perdão e amor. Amar sem medidas eis a nossa missão. Que o senhor nos ensine a ordenar toda a nossa história para o amor e então, seremos mais que vencedores. Algo importantíssimo que devemos aprender com Deus: perdoar sempre - “não te digo até sete vezes, mas setenta vezes sete”, ou seja, o ato de perdoar é infinito!
Façamos a experiência do perdão a cada instante e a nossa vida florirá!!!
Deus o abençoe!!!

Carla Aparecida Pimentel
Consagrada Luz da Vida

Um comentário:

Anônimo disse...

Anna Vivian-Guarabira-anna_vivian@hotmail.com
Ja passei decepções de tarições e tbm ja trai,mas tão grande é nosso orgulho que qnd somos traidos esquecemos de nossas falhas e queremos ter um poder maior que o do nosso Deus,o poder de julgar sempre e perdoar nunca,ao ler tudo isso percebi que estamos nessa vida sempre a aprender,que perdoar não é sinal de de fraqueza mas de amor provavelmente as pessoas que vc mais perdoar na sua vida são as que vc mas amou,e ainda que não ame PERDOE!