segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Uma semana feliz para todos!

"Como acontece com as
pessoas, as plantas vicejam,
crescem com alegria mais notória,
florescem mais rapidamente, quando recebem
a atenção cuidadosa do amor, esse adubo
natural pra toda espécie de vida.
Economizá-lo, portanto, é um
desperdício dos grandes.
Talvez, o maior".


((Ana Jácomo))
Leia Mais ►

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

“Viver, como se fosse o último dia... Trabalhar, como se fosse para Deus... Gostar de todos, como se fosse amor... Libertar-se, como se estivéssemos no fim de todas as dores. Olhar tudo como se fosse obra de arte. Caminhar, como se estivéssemos nas nuvens. Abraçar a todos, como se fossem nossos filhos. Perdoar, como se nunca tivéssemos sido ofendidos. Desapegar, como se não tivéssemos mãos. Cooperar, como se não houvesse luta. Sorrir, como se tudo fosse uma brincadeira. Recomeçar, como se fosse a última chance. Em qualquer ação, o importante é fazê-la com classe, como se fosse pela primeira vez, consciente de que o tempo não volta e que tudo é para sempre”.


((Luiz Gasparetto))
Leia Mais ►

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Masculinidade. As consequências do sexo fácil

Quando a mulher se entrega "facilmente" pelo sexo ao homem, está condicionando-o a encarar esse relacionamento como algo não essencial para a vida dele

É claro para todos nós que homens e mulheres têm papéis distintos na procriação, também é sabido que por essa desigualdade, eles percebem o sexo de forma diferente. Para demonstrar isso, faço alusão a obra literária: "Homens fazem sexo, mulheres fazem amor", pois, se nos aprofundarmos no assunto, veremos que sexualidade é um conjunto muito mais complexo que envolve todo o ser.

SexualidadeMasculina-940x5002

Ao contrário do que muita gente imagina, a sexualidade não está só nos impulsos e órgãos reprodutores, mas também na forma como nos expressamos, como entendemos e olhamos o mundo, os nossos afetos, interesses e nossas inclinações, a construção de nossa personalidade, até no modo de nos locomovermos; tudo isso é perpassado pela nossa sexualidade.

"A sexualidade afeta todos os aspectos da pessoa humana em sua unidade de corpo e alma. (ou seja) Diz respeito à afetividade, à capacidade de amar e de procriar e, de uma maneira mais geral, à aptidão a criar vínculos de comunhão com os outros" (Catecismo da Igreja Católica, art. nº 2332).

Percebemos nossa sexualidade no corpo, em nossos impulsos, mas também como uma capacidade psíquica (fantasias, pensamentos), social (atitudes, criação de vínculos) e espiritual (vocação esponsal, paternal ou maternal). O ser masculino é mais inclinado ao ato sexual por um motivo bem simples de entender. A natureza deu ao homem o material genético responsável por fecundar, então o fez com características psicológicas, sociais e espirituais para tal. Para o homem o sexo é algo importantíssimo, latente em seus sentidos quase que todo o tempo.

Existe um vídeo com o título "Masculinidade: o que está acontecendo com os homens", de autoria do Padre Paulo Ricardo, no qual ele cita que "o substrato básico do ser humano está na feminilidade e que o sexo masculino para se desenvolver precisa surgir de um esforço".

Em resumo, o homem precisa lutar por algo em que acredita para encontrar sentido na sua existência. Ele necessita esforçar-se para autenticar sua masculinidade. Por isso digo que, mesmo com instintos voltados para tanto interesse sexual, o melhor para o homem é guardar-se, de forma a lutar por aquela que será sua mulher.

Quando a mulher se entrega "facilmente" ao homem pelo sexo, ela o está condicionando a encarar esse relacionamento como algo não essencial para a vida dele. Ele pensa: "Está lá, fácil e disponível quando quero, não preciso me preocupar em manter". E entendamos "entregar-se facilmente" como "sexo antes do casamento", porque nisso não há comprometimento verdadeiro nem esforço da parte dele. Basta ver o quanto os homens de hoje não querem muito saber de envolvimento afetivo, isso lhes parece prisão. Pois, se eles podem lutar por suas outras preocupações adiante e ainda ter companhia com sexo, para que se amarrarem?

Mas quando um homem luta por uma mulher, quando ele tem registrado em suas memórias o quanto se esforçou para se comprometer definitivamente com ela pelo sacramento do matrimônio, o ato conjugal terá para ele um valor amplamente significativo, uma parte integrante da validação da sua masculinidade. Além do prazer, será uma gratificante sensação na alma de perceber-se bondoso o suficiente para ela, e o que atesta tudo isto será  perceber sua esposa desejosa de você, e isso será o mesmo que ela lhe dizer: "Valeu a pena tudo o que você fez por mim, então me doo a você". 

O ato sexual tem de ser a celebração de tudo o que eles viveram em suas histórias e que se entrelaçou, e do que construíram juntos naquele dia, e não somente o prazer pelo prazer. O gozo, portanto, sem levar em conta as outras condições que o envolvem, pode gerar várias impressões negativas nas pessoas, como pensar que estão sendo usadas, que o gozo é apenas uma forma de descontar uma raiva ou uma recompensa.

O mundo mede a masculinidade de um homem por suas conquistas efêmeras e, quem sabe, pela quantidade de relações sexuais. Mas Deus tem projetos muito maiores para você. O Senhor quer lhe proporcionar o máximo que você pode ser, e levá-lo à plenitude de corpo e alma por meio da sua vocação ao matrimônio. Alcançar essa bênção é o esforço que vale a pena!


Sandro Arquejada

Sandro Aparecido Arquejada é missionário da Comunidade Canção Nova. Formado em administração de empresas pela Faculdade Salesiana de Lins (SP). Atualmente trabalha no setor de Novas Tecnologias da TV Canção Nova. É autor do livro "Maria, humana como nós" e "As cinco fases do namoro". Também é colunista do Portal Canção Nova, além de escrever para algumas mídias seculares.


Fonte: http://formacao.cancaonova.com/afetividade-e-sexualidade/afetividade-masculina/masculinidade-as-consequencias-do-sexo-facil/

Leia Mais ►